Os textos e algumas imagens incluidas nesta página, foram copiadas da Gazeta Desportiva (Gazeta das Caldas) da edição de 05 de Fevereiro de 1993

 

 

Manuel Garcia Anacleto
Nasceu em Rio Frio – Montijo
Estremo esquerdo e direito
Clubes que representou como jogador:
Rio Frio, Sporting Clube de Portugal, Caldas Sport Clube e Mirense
Como treinador/jogador: Futebol Clube das Caldas

 

 

Começou a jogar futebol no Rio Frio, mas em 1949 ingressou no Sporting onde conheceu os famosos 5 violinos ou seja:
Travassos, Jesus Correia, Manuel Marques, Albano e Vasques (seu primo).
Dos mais famosos apenas não jogou com Peyroteo.
No Sporting jogou ainda com Amaro, Leandro e César que mais tarde ingressaram também no Caldas Sport Clube.

 

 

Anacleto foi o jogador que mais épocas jogou pelo Caldas.
Veio para o clube em 1952 quando o Caldas estava a disputar os regionais do distrito de Leiria.
Entretanto tornou-se uma boa equipa, foram obtendo bons resultados e rapidamente subiram para a 3ª, depois 2ª e finalmente 1ª Divisão Nacional

 

 

 

Anacleto recorda que foram momentos inesqueciveis, não só no aspecto desportivo, como nas amizades.
Ele lembra com saudade Bareck, Piteira, Bispo, Barnabé, Marques Neves, Jorge Alcobaça, Abel e tantos outros.
Contudo gosta de destacar dois grandes amigos: Fragateiro e Armando Machado pelas suas qualidades humanas.

 

 

Um episódio interesante recordado aqui por Anacleto

Aconteceu uma história muito engraçada passada com o treinador Mister Sezabo...
Durante uma estadia em Aveiro, na véspera de um jogo, ficámos instalados numa pensão.
O meu colega de quarto era o saudoso Bareck, e como toda a gente sabe ele era muito brincalhão.
Mais uma vez resolveu fazer das suas, escondendo-se dentro do roupeiro do quarto.
Sem eu saber de nada, fui-me deitar e de facto estranhei a sua ausencia.
Já na cama puxo por um jornal e começo a lê-lo.
Depois da leitura, apago as luzes e tento adormecer.
Passados alguns momentos começo a ouvir barulhos estranhos que me estavam a dar cabo do sono.
Dei voltas e mais voltas na cama, e como o barulho não parava ponho-me de pé e vou ter com o Velho Sezabo, para lhe dizer que assim não se podia descansar.
Resposta pronta do Mister:
"Marica di gajo, você é um marica di gajo"
Mas ele foi ao quarto e quando lá chegou começou de facto a ouvir os tais ruidos e disse:
"Rapá, rapá tu ter razão"
O Mister intrigado, tentando saber a origem do barulho, mete-se de cócoras a espreitar para debaixo das camas.
Para surpresa de nós o Bareck sai rapidamente do roupeiro batendo com a porta na cabeça do Mister.
Este cai atordoado e desmaia.
Passados alguns minutos, reanimou, olha muito sério à sua volta, fixa o Bareck e diz:
"Tu rapá, quinhento cudos di muta, tu poder matar velho"