O meu primeiro filme

Nos tempos modernos de hoje, quando um bebé nasce, vai-se logo habituando a todas as
tecnologias modernas que existem, e vai crescendo neste ambiente, sem sequer pensar
como apareceu toda esta evolução.
Hoje um computador é considerado um brinquedo para muitos, mesmo antes de
aprenderem a ler e escrever.
Recordo-me que quando apareceu a televisão em Portugal, certas pessoas diziam que
era "bruxedo".
A mim explicaram-me que era como um rádio, mas que tinha imagem.
Fiquei sem comprender o que era, até que um dia, uma das minhas irmãs, deu-me
dinheiro, e mandou-me comprar 2 bolos, (um para mim, e outro para ela) num café-
pastelaria, que ficava a uma certa distância da nossa casa (cerca de 7 minutos a andar)
Foi aí nesse estabelecimento que eu vi pela primeira vez a televisão.
No ecran via-se uma bailarina a dançar em bicos de pés, ( Secalhar, ela não queria
fazer barulho, para não acordar quem estivesse dormindo)
Não me lembro quanto tempo ali fiquei, mas recordo-me que deve de ter sido mais de 2
horas, porque a minha mãe, e a minha irmã, andavam preocupadas á minha procura, e
quando me encontram, eu estava cá fora, mas olhando sempre através de uma janela,
para a televisão, e sem me aperceber, tinha comido os dois bolos.
Claro que com o decorrer dos tempos fui-me habituando a ver as imagens, e deixei de
me impressionar.
Entretanto comecei também a ver a filmes infantis quando me levavam no cinema.
Para poder entrar sem ser acompanhado por adultos, tinha que ter a idade mínina de 12
anos, e ver filmes para essa categoria de idades.
Recordo-me de ter pedido aos meus pais como prenda do meu 12º aniversário que me
oferecessem um bilhete para entrar sózinho no cinema.
Eles aceitaram e num sábado á noite fui assistir a um filme cujo título era "Abbott,
Costello e a Múmia".
Eu já me considerava um jovem adulto, mas na verdade era muito ingénuo.
Aquilo era um filme cómico, mas para mim foi um filme de terror, ainda por cima, eu
pensava que todos aqueles personagens eram reais, e se encontravam por detrás do
ecran.
Numa das cenas, a múmia, saíu dum sarcófago e de braços abertos caminhava em
direção dos espectadores... que arrepios me deram, pensando que ela vinha ter comigo...
Quando o filme acabou, eu fui para casa, mas como era noite cerrada, eu olhava para
todos os lados, convencido que a múmia podia estar por alí.
Eu morava num prédio muito grande e largo conhecido por “prédios do Viola” que tinha
várias entradas, e para chegar ao meu apartamento teria de passar por um arco muito
grande, que fazia parte do prédio, que por sua vez dava acesso á porta principal.
O problema é que nessa zona do arco, estava muito escuro, não havia iluminação
adequada.
Então o medo apoderou-se de mim, (estaría ali a múmia ?) e não consegui atravessar o
tal arco.
Desloquei-me então até próximo de um outro prédio, e fiquei á espera que alguém se
dirigisse para o arco, para disfarçadamente o acompanhar.
Tive muita sorte, porque passados alguns minutos eu vi um vizinho que se dirigía para
lá.
Rapidamente coloquei-me a seu lado, e lá atravessei aquele maldito arco, chegando
finalmente a casa, onde a minha mãe me esperava.
Ela perguntou-me se eu tinha gostado do filme, mas ao dizer isto notei que se
aproximou de mim, cheirando-me...
Exactamente, foi isso mesmo que aconteceu, com 12 anos não se tem idade para usar
fraldas, e o que tinha que acontecer, aconteceu...
Com o mêdo, caguei-me todo, foi mesmo nas cuecas, que repassou para as calças, e já
estava a escorrer para os sapatos...!!!