A Rainha das Flores

Tarde ou cedo, todas as pessoas que gostam de flores pensam em cultivar rosas.
As roseiras conseguem ultrapassar quase todas as outras plantas de jardim pela quantidade de flores que elas produzem, durante o período de floração, assim como durante a sua existência, pois que uma roseira, sendo bem tratada, dura anos sem fim.
Algumas pessoas afeiçoam-se de tal maneira às rosas, ao ponto de falar com elas, como se as flores compreendessem o que se lhe diz.
Não pretendo ser um perito em roseiras, mas como as cultivo à muitos anos, resolvi partilhar alguns truques baseados em livros da especialidade que li, e outros que fui desenvolvendo. Esta partilha é dedicada especialmente ao Grupo de Cultivadores de Fim de Semana
Espero que as imagens que se seguem com as explicações possam ajudar a cultivar lindas rosas.

Depois do sono invernal, na Primavera as roseiras transformam-se rapidamente numa planta coberta de folhas e flores.
Os rebentos despidos começam por emitir as hastes laterais. Ao longo destas, começam a nascer outras pequenas varas com grupos de folhetos em forma de lágrimas, e cada grupo que pode ser composto até 9 folhetos, constitui botanicamente uma única folha.
A haste deixa de crescer quando se forma na extremidade um botão muito apertado, envolto de sépalas parecidas com as folhas, que se desprendem para deixar abrir uma linda flor.
Normalmente a flor situada na extremidade da haste é a primeira a abrir, mas outras flores também se formam a partir de olhos que aparecem mais abaixo na base das folhas a 3 ou 4 folhetos.

Como cultivar roseiras a portir de hastes

1 - Para obter uma nova roseira a partir de uma haste, escolha na Primavera uma vara florida que esteja bem sã. Quando as pétalas da flor estiverem no ponto de cair, corte a 5cm do topo da vara, cortando-a em diagonal, logo a seguir a uma folha de 5 folhetos.
Corte de novo entre 12 e 15 cm mais baixo (veja as linhas tracejadas)

2 - Corte com uma tesoura todas as folhas da vara. excepto o par superior, tendo cuidado para não estragar os olhos da vara. (futuros rebentos)

3 - Deixe a vara alguns minutos dentro de um recipiente com água de maneira que fique bem humida, e depois dentro de uma mistura de hormonas que serve para desenvolver as raizes.

4 - Regue bem as varas, depois de as ter plantado a uma fundura de 3 a 5 cm, num vaso de 15 cm cheio de terra de jardim.
Pode plantar até 6 varas em cada vaso.

5 - Cubra o vaso com um grande saco plástico que deve fechar por baixo do vaso.
Ele manterá humidas as varas que ainda não têm raizes, absorvendo a humidade pelas folhas.
Coloque o vaso num local bem iluminado, mas nunca em pleno Sol.
Quando começarem a aparecer novos rebentos, ao fim de 6 ou 8 semanas, retire o saco.

6 - Transplante cada nova roseira dentro de um pequeno vaso de 7 ou 8 cm cheio de turfa, regue bem, e cubra com um saco de plástico ou um pote de vidro, durante cerca de 3 semanas, antes de plantar definitivamente na terra.

Outra maneira de produzir novas roseiras

1 - Uma roseira com hastes flexiveis, poderá produzir um novo pé por "mergulho terrestre"
As raizes vão se desenvolver a partir de uma haste enterrada num buraco de 20 cm, na Primavera ou no princípio do Verão.
Encontre um local onde possa enterrar uma haste, o mais profundamente possível, a cerca de 30cm da sua extremidade.

2 - No centro da parte que fica mais enterrada, faça um corte com uma navalha, mesmo por baixo de um olho (flecha)
Introduza um pau de fósforo ou um palito, para manter o corte aberto.
Corte as folhas, humedeça a zona do corte, e se possível coloque uma pitada de pó a enraizar.

3 - Uma forca de uma tranca de árvore, ou 2 paus cruzados por cima da zona do corte, servirão para manter a haste enterrada.
Depois de coberta de terra, coloque uma pedra para ajudar a manter a haste no lugar, e outra pedra, para ajudar a levantar a extremidade que sai da terra.

4 - No Outono, um novo sistema de raizes vai-se desenvolver a partir do corte da navalha Mas para permitir às jovens raízes (que são frágeis) de sobreviverem no Inverno, tem que se deixar a haste enterrada, ligada ainda à planta mãe, até à Primavera seguinte.

5 - Na Primavera seguinte, enquanto a nova planta ainda não tem folhas, separa-se da planta mãe, conforme mostra o desenho número 5

6 - Depois de ter preparado um novo buraco, transplante a nova roseira tendo o cuidado de não estragar as raizes.

 

 

Se acha que estas informações lhe poderão ser úteis mais tarde, guarde o "link"desta página nos seus Favoritos, para consulta ulterior. Se quizer visitar o "Cantinho do Faustino" clique aqui.